PATOLOGIAS COLORRETAIS

- Fissura Anal -

Fissura anal é uma pequena ferida ou corte no revestimento do canal anal. Fissuras são comuns, mas facilmente confundidas com outras condições anais, como por exemplo as hemorroidas.

 

CAUSAS DE FISSURA ANAL

 

As fissuras são formadas principalmente devido a um trauma no canal anal, seja pela evacuação ou qualquer evento que machuque a região. Isto pode ocorrer devido a constipação, com fezes bastante endurecidas ou devido a aumento da frequência evacuatória, com fezes amolecidas. Pacientes que apresentam um canal anal mais estreito, com a musculatura mais contraída, estão mais predispostos a esta condição. Causas menos comuns de fissura anal inclui doença inflamatória intestinal, infecções do canal anal ou tumores.

 

SINTOMAS

 

Fissura anal normalmente causa uma dor intensa que se inicia com a passagem das fezes pelo ânus. A dor dura por vários minutos a algumas horas. Como resultado, muitos pacientes tendem a não evacuar para prevenir a dor.

Outros sintomas incluem:

- Sangramento vermelho vivo no vaso sanitário ou no papel higiênico após a evacuação;

- Um pequeno volume ou excesso de pele próximo à fissura anal (mais comum nos casos crônicos).

 

TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO

 

O seu médico discutirá os benefícios e efeitos adversos dos tratamentos.

Tratamentos incluem:

- Uma dieta rica em fibras e uso de suplementos de fibras (25-30 gramas de fibra por dia) para fazer com que as fezes fiquem formadas e macias;

- Emolientes fecais para facilitar a passagem das fezes pelo ânus;

- Ingestão de mais água para prevenir fezes secas e auxiliar na cicatrização da fissura;

- Banhos de assento com água morna por 15 a 20 minutos, algumas vezes ao dia (principalmente após a evacuação para relaxar a musculatura do ânus);

- Medicamentos, como a lidocaína, que pode ser aplicada na pele ao redor do ânus para aliviar o desconforto;

- Medicamentos, como as pomadas de Diltiazem, Nifedipina e Isossorbida para relaxar a musculatura do esfíncter anal e auxiliar na cicatrização.

Medicamentos opióides são evitados porque eles podem causar constipação, o que pode prejudicar a situação.

 

TRATAMENTO CIRÚRGICO

 

Apesar de a maioria das fissuras anais não necessitar de cirurgia, fissuras crônicas são difíceis de tratar e a cirurgia pode ser a melhor opção. O objetivo da cirurgia é ajudar o músculo do ânus relaxar, o que reduz a dor e os espasmos, auxiliando na cicatrização da fissura. As opções cirúrgicas incluem a injeção de Toxina Botulínica (Botox®) no canal anal ou a incisão de uma parte da musculatura do ânus (esfincterotomia lateral interna). O seu Coloproctologista irá discutir as melhores opções e riscos dos tratamentos cirúrgicos.

 

PROGNÓSTICO PÓS-TRATAMENTO

 

A maioria dos pacientes pode retornar ao trabalho e a suas atividades em poucos dias após a cirurgia. Cicatrização completa após ambos os tratamentos medicamentosos e cirúrgicos pode levar de 6 a 10 semanas. Mesmo após a dor e o sangramento apresentarem melhora é importante manter um hábito intestinal regular, com boa ingestão de fibras e água para manter as fezes formadas e macias.

- Injeções de Botox® estão associadas com a cicatrização das fissuras crônicas em 50% a 80% dos pacientes;

- Esfincterotomia apresenta taxa de sucesso acima de 90% dos pacientes. Apesar de incomum, este procedimento pode afetar a capacidade de ter o controle total dos gases e fezes.

Fissuras frequentemente reaparecem. Uma fissura completamente cicatrizada pode retornar após uma evacuação com fezes endurecidas ou trauma. Problemas de saúde como Doença Inflamatória (Doença de Crohn), infecção ou tumores anais podem causar sintomas semelhantes aos da fissura. Se a fissura anal não cicatriza, é importante ser avaliado para outras possíveis condições.

 

AS FISSURAS ANAIS PODEM EVOLUIR PARA O CÂNCER COLORRETAL?

 

As fissuras anais não aumentam o risco de câncer colorretal e nem causam ele. Entretanto, condições mais sérias podem causar os mesmos sintomas. Mesmo que a fissura esteja completamente cicatrizada, seu Coloproctologista pode solicitar outros exames. Uma colonoscopia pode ser realizada para descartar outras causas de sangramento.