PATOLOGIAS COLORRETAIS

- Câncer do Reto -

O reto compreende os últimos 15cm do intestino grosso. O câncer do reto cresce a partir do revestimento interno, chamado de mucosa. Este câncer é o terceiro mais comum entre os homens e mulheres. O câncer colorretal é altamente curável se detectado nos estágios iniciais.

 

QUEM ESTÁ EM RISCO PARA O CÂNCER DO RETO?

 

Câncer do reto pode ser prevenido. Quase todos os cânceres do reto se desenvolvem a partir de pólipos, que são alterações benignas da mucosa do reto. A detecção e a remoção destes pólipos através da colonoscopia reduz o risco de câncer do reto. O rastreamento tipicamente inicia aos 50 anos de idade, ou em idades mais precoces em pacientes com o risco aumentado para o câncer colorretal.

Apesar de não ser provado definitivamente, existem evidências de que a dieta tem um papel importante na prevenção do câncer colorretal. Até onde se sabe, uma dieta rica em fibras e pobre em gordura é a única medida dietética que poderia prevenir o câncer colorretal.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DO RETO?

 

Muitos cânceres do reto não causam sintomas e são detectados durante exames de rastreamento. Os sintomas mais comuns do câncer retal são a mudança do hábito intestinal, como a constipação ou diarreia, fezes afiladas ou sangue nas fezes. Pode ocorrer, também, dor em baixo ventre ou pélvica, perda de peso inexplicável ou cansaço. Outros problemas comuns podem causar os mesmos sintomas. Doença Hemorroidária não causa câncer retal, porém pode causar os mesmos sintomas. Qualquer pessoa com estes sintomas deveria procurar um médico para avaliação e tratamento adequado o quanto antes. Dor abdominal e perda de peso são tipicamente sintomas tardios, indicando doença avançada.

 

QUAIS EXAMES SÃO REALIZADOS PARA DIAGNOSTICAR O CÂNCER DO RETO?

 

- Exame físico e história médica;

- Toque Retal;

- Proctoscopia;

- Colonoscopia;

- Biópsia.

 

O QUE DETERMINA O PROGNÓSTICO DO CÂNCER DO RETO?

 

- O estadiamento do câncer (câncer localizado x avançado);

- A localização do câncer no reto;

- Se o intestino está obstruído ou não;

- Se é possível remover todo o tumor com a cirurgia;

- O estado geral de saúde do paciente;

- Se o câncer foi recém diagnosticado ou se é recorrência.

 

COMO O CÂNCER DO RETO É ESTADIADO?

 

Estadiamento a distância:

- Tomografias de Tórax e Abdome Total;

- CEA (antígeno carcinoembrionário).

Estadiamento local:

- Ressonância Magnética da Pelve;

- Ultrassonografia Anorretal.

 

COMO O CÂNCER DO RETO É TRATADO?

 

Para a cura do câncer, a cirurgia para remover o tumor é quase sempre necessária. Dependendo da localização e do estadiamento, isto pode ser realizado através do reto ou do abdome. A cirurgia do câncer retal remove o câncer e os linfonodos juntamente com uma porção de intestino normal antes e depois do tumor. A criação de um estoma (colostomia ou ileostomia) pode ser necessária dependendo da localização do tumor no reto. Cirurgiões com treinamento podem realizar técnicas minimamente invasivas dependendo de algumas características do tumor. O seu cirurgião irá discutir as melhores opções de tratamento. Tratamento adicional com quimioterapia e/ou radioterapia pode ser necessário antes ou após a cirurgia, dependendo da localização e estadiamento do câncer.

 

QUE FATORES INFLUENCIAM NO PROGNÓSTICO?

 

O desfecho dos pacientes com câncer retal é bastante relacionado com o estadiamento no momento do diagnóstico, com o câncer confinado no revestimento interno do intestino apresentando as melhores chances de sucesso. Esta é uma das razões porque a detecção precoce através de exame de rastreamento é tão importante.

 

QUE SEGUIMENTO É NECESSÁRIO APÓS O TRATAMENTO?

 

Após o tratamento do câncer retal, são necessárias visitas ao médico com exames de CEA, tomografias de rotina, exame físico e colonoscopia em intervalos determinados.